Category: Artigos


Compartilhando mais uma “pedreira” resolvida no dia-a-dia.

Volta e meia um ou outro cliente reclama que as URLs do registro de navegação (access.log) do SQUID não estão sendo gravadas de forma COMPLETA, ao invés de gravar “https://lhsiqueira.wordpress.com/wp-admin/post-new.php?id=123456?category=25” grava apenas “https://lhsiqueira.wordpress.com/wp-admin/post-new.php“, omitindo as strings de consulta “id=123456?category=25”. Isso acontece devido a uma preocupação dos desenvolvedores do SQUI Proxy Cache com a privacidade dos usuários da rede, e até compreendo tal preocupação, mas no fim das contas, a administração e acesso a esses registros não é de competência dos administradores de rede e/ou gerência de TI? SIM. Então vamos habilitar esse registro completo.

Para tanto, basta editar o arquivo de configuração do SQUID (geralmente em /etc/squid/squid.conf), procurar pela variável strip_query_terms, descomentá-la e definir seu valor como “off“, isso mesmo, “off“! Ficando:

strip_query_terms off

Após isto, basta reiniciar o SQUID (killall -HUP squid).

Para quem utiliza o SARG (Squid Analysis Report Generator) e deseja que o mesmo também grave os registros completos em seu relatório, basta editar seu arquivo de configuração (geralmente em /etc/squid/sarg.conf ou /etc/sarg/sarg.conf), procurar pela variável long_url, descomentá-la e definir seu valor como “yes“, ficando assim:

long_url yes

Após isto, na próxima vez que sua rotina de geração de relatórios for executada (CRONTAB, você tem, certo? :/), já irá gerá-los com a URL completa.

Bom, espero ter contribuído.
Abraço

Cisco-VMware: parceria em soluções de sucesso

Cisco-VMware: parceria em soluções de sucesso

No dia 2 de julho, a Cisco em seu webnar semanal Quint@s Quinze tratou do assunto Soluções Cisco-VMware para Data Centers, o qual só pude ter a satisfação de assistir, hoje (8).

Recomendo a visualização da gravação tanto para quem já está trabalhando com este tipo de solução quanto para quem está iniciando, querendo interar-se sobre novas tecnologias desta categoria.

Clique aqui para acessar o webnar Soluções Cisco-WMware para Data Centers.

Denny Roger relata as técnicas mais utilizadas para roubo de senhas. Saiba como proteger a sua.

Nos primeiros seis meses de 2009, recebi 87 relatos referentes ao roubo de senhas. A principal dúvida das vítimas não está relacionada à identificação do “ladrão virtual”. A questão principal foi como recuperar uma senha roubada.

Imagine a seguinte situação: você tenta acessar o seu e-mail pessoal e recebe a mensagem de “senha inválida”. Após várias tentativas de acesso, você suspeita que alguém alterou a sua senha, tenta utilizar o recurso de “recuperação de senha” mas a tentativa não funciona. E agora, o que fazer?

Ao longo das próximas horas, você tenta fazer contato com o administrador do servidor de e-mail para que a senha seja recuperada. Para piorar as coisas, o seu e-mail é de um serviço gratuito de webmail como Gmail ou Hotmail, por exemplo. Você não consegue localizar um telefone ou e-mail de contato para solicitar a ajuda. E agora?

Leia o artigo completo aqui.

Fonte: IDG Now

O colega blogueiro, Rogério Araújo, disponibilizou hoje mais um de seus ótimos resumos. Desta vez Rogério tratou do assunto CBS TI – Contratação de Bens e Serviços de TI. Clique no link abaixo para acessar:

CBS TI – Contratação de Bens e Serviços de TI

Aproveitem.

Aposto que muitos já passaram por este famoso erro: “Microsoft OLE DB Provider for ODBC Drivers error ‘80004005′ | Microsoft][ODBC Driver Manager] Data source name not found and no default driver specified“. Existem algumas possibilidades básicas para que este erro ocorra, mas também existe uma única possibilidade árdua, e é exatamente com a solução desta possibilidade que eu pretendo contribuir.

Quando digo possibilidades básicas, me refiro a:

– Servidor SQL Server negando conexão: Verifique a existem de algum Firewall neste servidor, pois o mesmo pode estar impedindo as conexões ODBC
– Seu Data Source Name (DSN) pode estar com o nome errado, exemplo de um DSN: conexao = “dsn=nome_dns;uid=nome_bd;pwd=senha;”

Quando digo sobre a única possiblidade árdua, me refiro a questão de o servidor de hospedagem de arquivos ser Windows 2003 64x e o servidor SQL Server 2000 ser Windows 2000 32x, ou seja, haverá uma incompatibilidade no momento de estabelecer conexão.

O Windows 2003 64x instala um ambiente completo 64x, com isso, o atalho para o ODBC esta linkado para o arquivo C:\WINDOWS\System32\odbcad32.exe. Para resolver este problema de conexão ODBC de um servidor 64x para um 32x, utilize uma outra versão do ODBC já contida no Windows 2003 64x, sendo encontra em C:\WINDOWS\SysWOW64\odbcad32.exe

Espero que esta contribuição seja proveitosa por longo tempo.

Diante de tantas dificuldades encontradas para virtualizar o Ubuntu e experimentar sua nova versão, é claro que iria compartilhar com todos a solução. Utilizei o Windows XP SP2, Microsoft Virtual PC 2007 e Ubuntu 7.10.

Obs.: Não abordarei detalhes de instalação e configuração de máquina virtual.

Digo tantas dificuldades porque foi necessário muita pesquisa para solucionar um ÚNICO problema. O mesmo acontece quando vamos criar a nova máquina virtual (VM) e dar boot, então, pressionamos logo “ENTER” na opção “Start or Install Ubuntu”, em seguida a instalação começa a processar e inesperadamente surge erro de resolução, conforme imagem abaixo:

ubuntu_vpc_bugresolution

Para solucionar este problema, após instalado o Microsoft Virtual PC 2007 é necessário baixar o ISO do Ubuntu 7.10 e queimá-lo em CD ou DVD.

Crie normalmente uma nova máquina virtual (VM) com no mínimo 256mb (512 ideal) e execute o CD para boot do Ubuntu, logo a tela abaixo será apresentada:

ubuntu_vpc_bugresolution01

Devido a uma limitação de resolução do Microsoft Virtual PC 2007, pressione F4 e selecione a resolução 800 x 600 x 16.

Após isso, leve o cursor até a opção “Start Ubuntu in safe graphics mode”. Na instalação em modo gráfico o mouse costuma não funcionar, e isso fará falta, então pressione a tecla F6 para editar o comando a ser executado e adicione ao fim do comando isto: “- – i8042.noloop”, conforme imagem acima. Execute o boot.

Então, após estes procedimentos, tudo tende a dar certo e a próxima tela será a seguinte:

ubuntu_vpc_bugresolution02

Dê duplo clique no icone INSTALL e siga a instalação do Ubuntu conforme suas preferências.

Pode acontecer de ao fim da instalação o Ubuntu não conseguir se conectar aos seus servidores de atualização e com isso gerar um erro, erro este que não atrapalhará a instalação e a atualização pode ser feita em outro momento.

Após o término da instalação feche a máquina virtual e remova o CD do Ubuntu. Execute novamente a máquina virtual, clique no menu CD e em seguida em “releasing the ISO”, para que o Microsoft Virtual PC 2007 entenda que o sistema operacional irá ser executado diretamente de sua instalação, e não mais do CD.

A tela seguinte será:

ubuntu_vpc_bugresolution03

Lembra do problema com o mouse? O mesmo ainda existe, então edite o comando novamente e insira ao fim: “- – i8042.noloop” e execute. Para solucionar este problema de vez, quando o Ubuntu abrir pela primeira vez, edite o arquivo /boot/grub/menu.lst, encontre a linha onde o Ubuntu é executado no boot e adicione ao fim o que é necessário, conforme imagem abaixo:

ubuntu_vpc_bugresolution04

Salve e pronto!

Espero que ajude a muitos.

Quem nunca precisou remover de um ou mais diretórios, arquivos antigos, que levente os maõs! :). Pois então, como de tempos em tempos também preciso desta solução, resolvi publicar para ajudar nossa comunidade.

A minha situação basicamente é a seguinte. Nos servidores de e-mail existe a fila de envio, onde constantemente algumas mensagens ficam por ali eternamente, pois o servidor não consegue encontrar o destinatário, e torna a tentar enviá-las infinitas vezes (isso também pode ser resolvido configurando o serviço de e-mail). Então, é necessário remover principalmente os arquivos antigos para que não fiquem ocupando espaço em disco e processamento desnecessário.

Supondo que o diretório que armazena arquivos que estão na fila é:

/var/spool/mqueue

Onde a inteção é remover todos os arquivos da fila, mais antigos que 10 dias.

Entre no diretório /var/spool (cuidado, é o diretório anterior mesmo!),  e execute:

find mqueue/ ! -mtime -10 | /usr/bin/xargs rm -rf

Vale lembrar que caso seja viável para sua solução, esta implementação pode trabalhar em conjunto com o CRON.

Abraço

Não é todo sistema ou servidor que dá para automatizar a questão de apagar os logs, ou então, nem sempre é interessante apagá-los automaticamente. Por experiência própria, vez ou outra preciso apagar vários arquivos gigantescos (geralmente logs) de uma única vez e a seguinte mensagem é gerada:

/bin/rm Argument list too long (Lista de argumento muito longa)

Bom, caso este seja o seu caso, basta entrar no diretório onde encontram-se os arquivos e executar algumas das alternativas de comando:

# Para apagar todos os arquivos que contenham “2008″ em seu nome
for a in *2008*; do rm $a; done

# Para apagar todos os arquivos que possuam a extenção .log
for a in *.log; do rm $a; done

Espero que seja útil a muitos.
Abraço

Olá pessoal, dando continuidade a matéria do dia 10/10/2007 (Procmail – Bloqueando por Anexos, URLs e Corpo da Mensagem), algo que sempre vamos precisar é adicionar algumas exceções aos bloqueios, então vamos lá!

Mas, como assim, exceções?

Bom, existe geralmente alguns domínios que são de confiança para a chegada de e-mails em nosso servidores, como o todo .gov.br, gmail.com, brturbo.com.br, entre outros.

Qual a regra que devo implementar?

Primeiro leia a matéria anterior sobre Procmail – Bloqueando por Anexos, URLs e Corpo da Mensagem

Deve-se implementar a regra acima das regras de bloqueios de URLs e Corpo da Mensagem:

:0
* ^From.*gov\.br
$DEFAULT
:0
* ^From.*gmail\.com
$DEFAULT
:0
* ^From.*hotmail\.com
$DEFAULT
:0
* ^From.*yahoo\.com\.br
$DEFAULT
:0
* ^From.*brturbo\.com\.br
$DEFAULT
:0
* ^From.*bol\.com\.br
$DEFAULT

Assim, todos os e-mails vindo dos domínios .gov.br, gmail.com, hotmail.com, yahoo.com,  brturbo.com.br e bol.com.br passaram sem chegar às outras regras.

Abraço.

Fonte:
http://www.panix.com/~elflord/unix/procmail.html

IDG Now publica matéria sobre perfil e salários dos profissionais que atuam na WEB, em São Paulo. Será que podemos levar como base? Acredito que sim! Mas com uma leve flexibilidade, adaptado a cada região. A final, precisamos nos valorizar.

Confiram a matéria completa:

Conheça o perfil e os salários dos profissionais que atuam na web
A internet requer profissionais especializados. O IDG Now! mostra quais são e como são valorizados os cargos ligados à web.